domingo, 3 de julho de 2011

Dormir de conchinha

Poucas pessoas têm o privilégio de dormir de conchinha. Uns porque ainda não encontraram a metade da laranja, outros porque são muito encalorados e não conseguem dormir agarrados com outra pessoa. Contudo, eu sou uma bem aventurada nesse quesito. Sou friorenta e suporto ficar enlaçada num abraço gostoooso por hoooras a fiiio. E meu partner vem se demonstrando muito hábil nessa arte também.


O companheiro em questão é meu filhote, antes que pensem qualquer coisa. O berço já está meio pequeno para ele e até que eu compre uma nova cama, ele é meu hóspede. Nem todo mundo pode saber o quanto é bom dormir uma noite inteira com o filho. Pois para alguns casais a cama é pequena demais para três, no meu caso, a minha king size está na medida certa para nós dois.


Vou tentar descrever o momento, mas por mais fiel e detalhista que eu seja, só experimentando pra saber. Nós nos deitamos, daí ele aninha a cabeça encima do meu braço, recostada no peito, de modo que eu posso sentir o delicioso cheirinho do shampoo Jonhson & Jonhson no cabelinho dele, ele puxa o edredon e fica segurando-o com a mãozinha, enquanto o pézinho dele se encaixa entre as minhas pernas para aquecer. A minha mão fica livre para fazer-lhe cafuné até adormecer e ali ficamos, um cúmplice do outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário