quinta-feira, 21 de junho de 2012

Senhora Volante - Maluca e Descontrolada

Eu sou um perigo! Sou mal-educada e não sirvo para dirigir.

Essa advertência não é uma simples constatação. Eu estou assumindo ser uma pessoa altamente perigosa quando se trata de questões de trânsito. Já mencionei isso aqui outras vezes. Hoje, por exemplo, fui tomada de profunda ira e por pouco, não acontece algo pior. Se o cabra do outro carro em questão fosse "esquentadinho" eu poderia nem estar digitando este texto agora... Graças a Deus ele era um bundão, corno, filho da puta, desgraçado... tudo, menos "esquentadinho".

Lá venho eu no meu Palio envenenado a 80km/h... (teeeenn -  onomatopéia), numa avenida de mão única, obviamente com uma pista (a da esquerda) para aqueles que primam pela velocidade (meu caso) e outra para aqueles que gostam de observar paisagens e procurar endereços. De repente, me aproximo de um Voyage pachorrento.

Façamos de conta que meu carro fale.

Dou-lhe uma piscadela com o farol como se dissesse: 
COM LICENÇA, CARO COLEGA VOYAGE, MAS SERIA MUITO INCOMODO SE EU LHE PEDISSE QUE SE RETIRASSE PARA A PISTA DA DIREITA PARA EU PODER PASSAR MANTENDO A MINHA VELOCIDADE CONSTANTE?
Diante da falta de sensibidade do outro carro em fazer de conta que não estava nem ouvindo o meu educado pedido, tomo outra postura: a boa e velha aproximação até quase encostar no carro da frente fazendo zig e zag para ele entender que eu preciso passar e aquele é o meu lugar de passar porque aquela pista é para quem anda rápido  e não para lesmas automotivas como ele. (paro e respiro -  a ausência de vírgulas é intencional)
Ainda assim, não obtenho êxito.
Passo 3: passar na frente dele a todo custo.
Portanto, lá vou eu para a pista da direita e novamente para a da esquerda, agora a frente do meu algoz. Diminuo a velocidade para 15km/h e vejo a fila de carro se formar atrás dele. Alguns piscam descontroladamente, outros saem pela pista da direita. Mas ele não, se mantém lá, preso atrás de mim como eu estava segundos antes atrás dele. 
OOOOPSS!! SETA PARA A DIREITA? QUER PASSAR É, BONITÃO? ENTÃO VAMOS! EU TAMBÉM VOU! 
E ligo a minha também e faço menção de trocar de faixa.
RESOLVEU FICAR? AH, MAS AQUI NÃO VAI SER A MESMA COISA SEM VOCÊ PRESO ATRÁS DE MIM... VOU FICAR TAMBÉM. SÓ PRA TE FAZER COMPANHIA.
E assim ele fez, por duas, três, quatro vezes... 

Até que virou a esquina.

Tá bobo? Leia a primeira linha deste texto novamente.

terça-feira, 19 de junho de 2012

À Ana o que é de Ana

Há vários tipos de pessoas pelas quais eu tenho antipatia. Uma delas é aquela que pensa que as minhas coisas pertencem a ela. Sou filha única e se tem algo que tenho bem claro para mim é que o que é meu é meu e pronto! Não me importo de emprestar (desde que devidamente e formalmente pedido) as minhas coisas, entretanto me importo muito se elas não são devolvidas e me importo ainda mais se elas são devolvidas com a cara torcida.

-Fulano, me empresta uma caneta? 
-Ah, não trouxe nenhuma hoje.
-Então me devolve a que te emprestei ontem no começo da aula? (tom amistoso e de brincadeira)

Eis uma forma tranquila de pedir que alguém devolva algo. Tá. No exemplo eu citei uma caneta, é insignificante, sim! Mas e se fosse meu carro que eu emprestei ontem de manhã para ele levar a mãe ao médico e não me devolveu até agora. Fui e voltei de ônibus pro trabalho, cara!

Aí, chega o "amigo" (muito menos amigo do que no momento em que lhe pediu o favor) com a cara amarrada e joga a chave do carro (ou até mesmo a caneta) em cima da sua mesa:

-Taí a chave/caneta, ó.

Nem agradece e se faz de ofendido porque eu cobrei algo que era meu e estava fazendo falta!!! Eu suporto muita coisa, mas falta de educação chega a ser pecado capital. O mínimo que ele poderia fazer era pedir desculpa pela demora. Certamente da próxima vez que me pedir algo emprestado só me lembrarei do tom arrogante da voz ecoando na minha cabeça... e a resposta virá automática:

-Rapaz, não vai ter jeito!

terça-feira, 12 de junho de 2012

Orfã de namorado

Nota da autora: O título que eu havia colocado primeiro era "Feliz Dia dos Namorados pra você também." Mas achei esse outro mais chamativo e resolvi trocá-lo.

Se não me engano esse foi o título utilizado na postagem do ano passado também. Entretanto, usá-lo este ano é mais adequado. O post de hoje é dedicado especialmente aos meus clientes (alguns não tão queridos), que de certo modo não permitiram que eu me esquecesse que é Dia dos Namorados.
-Um saque.
-De quanto?
-3 mil.
-A identidade e o cartão, por favor.
Passo o cartão, digito, a máquina imprime, o cliente assina, entrego o dinheiro. Noooormaaaal. Como faço todos os dias, diversas vezes ao dia.
O que tornou essa cena especial é que depois de finalizar o atendimento sempre pergunto se o cliente deseja algo mais.
-Não. Só mesmo te desejar um feliz Dia dos Namorados.
-Ah, muito obrigada! Pro senhor também!
E lá se vai o meu cliente preferencial de quase setenta anos, feliz com um dinheirinho no bolso.
E eu fico ali, absorta em meus pensamentos. Tá certo que ele só quis ser educado. Tá certo que não faz mal algum alguém te desejar que seu dia seja feliz. Afinal ouço todos os dias alguém dizer "Bom trabalho!" e eu respondo num tom de gozação "Ou é bom, ou é trabalho. Porque trabalhar não é bom! Se fosse não seria remunerado." Não costumo ouvir pessoas dizendo feliz Dia da Árvore ou feliz Dia da Consciência Negra, então, por que raios me lembram que hoje é Dia dos Namorados??? Eu não tenho nada a ver com isso! Quem tem namorado que comemore e me deixe quietinha no meu canto. (Respiro três vezes) Sim, eu sei que os clientes - foi mais de um, acredite se quiser - que me desejaram um feliz Dia dos Namorados não fizeram por mal e quiseram ser apenas educados e cordiais. Agradeço imensamente, contudo, aqui vai um conselho muito válido: antes de desejar feliz Dia das Mães para alguém, certifique-se se ela não é órfã.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Contrata-se

Falta uma semana para o Dia dos Namorados. E eu não quero namorado.
Não quero ter que trocar presentes. Dar satisfação de tudo que vou fazer.
Eu quero um empregado doméstico!
Atribuições:
- Me levar para onde eu quiser e na hora que eu quiser. Pode ser no carro dele ou no meu, tanto faz.
- Pagar as minhas contas. Todas, sem exceção.
- Cuidar da minha casa. Incluindo pequenos reparos e limpeza.
Requisitos:
- Língua fluente.
- Boa aparência.
- Referências (com telefone) das duas últimas empregadoras.
Remuneração:
- A combinar.