quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Animais de (des)estimação

Notei que tenho postado muito sobre o Pedro Paulo ultimamente. Perdoem-me se estou sendo babona demais e repetitiva, mas é que tenho passado mais tempo com ele e descoberto coisas maravilhosas. Digo, sem dúvida alguma, que essa é a melhor fase dele até agora. Não desmerecendo as demais, contudo, atualmente ele está deveras traquinas e peralta (pra não dizer custoso, mesmo!).

Há uns sete meses eu comprei para ele um porquinho-da-índia, era bonitinha, fofinha e pretinha com a patinha branca, por isso, a batizamos de Pretinha (é lúdico, tá? se fosse verde a chamaríamos de Verdinha). Ele gostou muito, entretanto, ela nem tanto. Por ser um bichinho de hábitos noturnos não interagia tanto com ele quanto eu imaginei. Não corria com ele... Não vinha comer na sua mão... Não gostava de colo... Enfim, a comprei por cinco reais e vendi por três, ou seja, aluguei um animalzinho por 40 dias a um custo de dois reais. Ótimo negócio.

Ficamos uns três meses sem animalzinho, daí resolvi comprar um coelho. Esse sim era interativo. Até demais! Corria, corria, corria e o Pedro atrás. Comia tudo que dava para ele. O problema começou quando ele não se restringiu a comer somente o que lhe dávamos. Comeu nossas plantas, parte do portãozinho de madeira, os fios do telefone, o sapato do meu namorado, três pares de sandálias meus, os tapetes e o pé do sofá. O Pretinho era lindo (sim, o batizamos com o mesmo nome do bichinho anterior, porque ele também era de pelo preto), mansinho e carinhoso, só que devido a essa fome insaciável tive de vênde-lo por dez reais (comprei por oito).

No mesmo dia o substituí por um pinto. Pensei cá com os meus botões "quando crescer não vou precisar vendê-lo, vamos comê-lo". Entretanto, o pinto foi mais esperto do que eu e já antevendo o que o esperava começou a piar e a piar. Como piava alto, meu Deus! Impossível um bichinho daquele tamanho ter cordas vocais tão boas. Mas o verdadeiro motivo de eu tê-lo devolvido foras as traquinagens do meu filho: pisou nele; o jogou no balde de água; o esmagou com uma revista; o colocou dentro da boca do jacaré de brinquedo e apertou; e, o levantou pelo bico e pela perninha. Tudo isso entre as duas e as seis da tarde.

Agora, ficaremos apenas com o Azul, o peixinho beta.

P.S.: O pintinho também era preto.

2 comentários:

  1. Anem, não acredito que vendeu o pretinho (coelho). Mas entendo, minha sandália tb quase foi junto...

    ResponderExcluir