segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O banco do carro

Vamos combinar o seguinte: quando entrar no meu carro, não mexa na regulagem do banco. Ok? A menos que você tenha pernas muito, muito compridas que não caibam no espaço reservado a você. Ainda assim dirá educadamente "Ana, posso chegar o banco um pouco para trás?" Aí sim, após o meu consentimento você poderá deslocá-lo. A razão disso é o simples motivo de que eu não gosto que os bancos do meu carro fiquem desalinhados. Não, eu não tenho TOC! Essa é a única mania que eu tenho. A minha educação não me permite falar, mas não gosto nem um pouquinho quando alguém entra no meu carro como passageiro e vai logo chegando o banco para trás e reclinando ele! Vá a minha casa, abra a geladeira, tome água no bico na garrafa e feche a porta com o pé, mas não mexa no meu banco. Vá ao meu banheiro, urine na tampa e ao redor do vaso, mas não mexa no meu banco! Jogue um milhão de toalhas molhadas sobre a cama, mas pelo amor de Deus não mexa no meu banco!!!

Lembrei de postar sobre isso hoje porque ao entrar no meu carro, percebi que alguém tinha desarrumado a minha regulagem. Sabe o quanto é difícil encontrar a regulagem correta? O jeito ideal que suas pernas não fiquem nem esticadas demais, nem encolhidas. Que o encosto do assento fique agradável de se sentar? Fica aí a dica, amigos. Ao entrar no meu carro como passageiro não toque nas alavancas. Se entrar para dirigir, deixe tudo exatamente no lugar quando sair. Tenho dito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário