segunda-feira, 6 de junho de 2011

Meu pai me perguntou o que era aquilo...

...quando ele viu um emo chorando e falando um monte de coisas sem sentido num programa de domingo na tevê. Respondi didaticamente. Isso aí, pai, é o que tá bombando na internet. Antigamente para as pessoas fazerem sucesso elas tinham de fazer coisas boas ou bonitas. Falar, cantar ou dançar bem era requisito para alguém fazer sucesso no rádio ou na tevê. Hoje em dia pra fazer sucesso na internet as pessoas têm de fazer coisas ridículas. Músicas ruins, danças esquisitas, bobagens, isso é o que faz um site ser o mais acessado em poucos minutos.


Eu acho que isso causa uma frustração em quem quer produzir de verdade. Pô! O cara fica esmerilando uma canção, por dias, meses a fio, para fazer uma música bonita, que fale coisas bonitas, que toque o coração das pessoas, para que no final das contas um cara cantando AEIOU ganhe (desmerecidamente) a minha atenção. (!)


Outra coisa que causa indignação em mim na internet são as relações entre as pessoas. Porque somos melhores amigos no MSN e no telefone não temos assunto? O que acontece? Será que é o ambiente virtual que deixa as pessoas mais a vontade? Eu posso teclar com alguém de calcinha e até sem ela que ele não vai saber. Posso dizer que estou com saudade sem precisar olhar nos olhos. Eu acho o cúmulo da hipocrisia quando encontro alguém que não vejo pessoalmente há muito tempo, mas que fica online no Facebook o dia todo, e ele me diz: “Nossa! Você tá sumida! Quê que você anda fazendo?” Se tava realmente sentindo minha falta porque não fala comigo no chat? Estou ali a sua disposição por horas. Ficamos sabendo como as pessoas estão e o que estão fazendo pela mudança de status. E todo mundo quer colocar uma frase de efeito no status, para que alguém fale com ele e comente ou curta sua frase fabulosa. Essa disponibilidade virtual me magoa profundamente. Uma sexta-feira eu estava aqui teclando e recebi três convites para sair. Quando estava sem internet em casa, ninguém me ligava nem pra saber se ainda estava viva! Imagine quantos convites deixei de receber em quase dois anos que fiquei sem internet?!


Então, dona Sabichona, se você menospreza tanto a internet porque está aí toda pimpona, com MSN de frase de efeito, Facebook todo dia, blog, Youtube,... Porque verifiquei que é muito chato viver numa ilha. Por mais que as relações nesse continente da Internet sejam frágeis, sem conteúdo, frias,... é o que temos atualmente. As pessoas se esqueceram de como é que é estar juntas umas com as outras. Certo dia, ao conversar com um amigo ele me contava de um vídeo engraçado do Youtube, ele disse: “Puxa! Mas você precisava ver!” “Pode me contar!” “Não é a mesma coisa! Quando estivermos no MSN eu te mando o link.” Mais um ponto para o virtual.

Um comentário:

  1. Concordo em alguns pontos e discordo em outros. Mas é fato que ontem ficamos aqui sem internet durante toda a tarde e em compensação lavamos toda a roupa acumulada, jogamos basquete e andamos de patins.

    ResponderExcluir