domingo, 15 de julho de 2012

Ter filho não é ter lepra, tá?


A conversa fluiu bem. A pessoa era razoavelmente simpática. Tudo estava correndo nos conformes, até que...
-Você me dá seu telefone?
-Até daria, mas ele está no carro. Serve só o número? Daí você me liga e marcamos para eu te entregá-lo.
[risos]
-Pode ser!  Pode ser!
Então o gajo sacou seu ultra-power-mega-plus-celular  e na tela havia uma menininha.
-Não é minha filha, não, viu? É sobrinha.
-Hum, e daí? – com expressão de “e o quê que tem a ver se fosse sua filha?”
-Não, é que algumas pessoas acham estranho ter foto de criança assim, na tela do celular, pensam que é filha da gente...
-Hum, sei... Mas, e se fosse o contrário? Se no meu celular tivesse a foto de um menino. O que você ia achar?
-Ah, eu ia achar estranho.
Gongo nele, minha gente!!!

O que eu faço se ele ligar?
      A. Peço para o Pedro atender e dizer que a mamãe já está vindo.
      B. Atendo e digo que eu tenho um filho.
      C. Deixo-o descobrir sozinho, via facebook.

13 comentários:

  1. Não entendo porque as pessoas vêem os filhos alheios como párias... Se eu sei lá, me casasse (bate três vezes na madeira) com uma mulher que tem um ou mais filhos, eu não veria um grande problema.
    Quer dizer, qual o grande desafio? É só você sustentar, punir quando fizer algo errado, recompensar quando fizer algo bom... E com sorte você não cria um serial killer :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vinicius, repare que até mesmo vc, na sua psedo-compreensão do fato, demonstra ter "problema" na hipótese de uma mulher ser "portadora de um filho", ao dizer que não vê um "grande problema".

      Excluir
    2. Errata: pseudo-compreensão

      Excluir
    3. Os filhos sempre são um problema, querendo ou não. Estudos provam isso! Mas não um "grande problema" compreende a diferença?
      Pseudo-compreensão: Essa é minha vida, esse é meu clube :P

      Excluir
  2. Fala pro Pedrinho atender o telefone e dá um pé na bunda desse cara. Esse não te merece.

    ResponderExcluir
  3. Uai, achei que pra gostar de você tinha que gostar do Pedrão também. Afinal, ele é parte sua e você é parte dele! :)
    Jurei que tava implícito!

    ResponderExcluir
  4. Mas isso é um grande problema mesmo!!Nós homens somos um pouco egoístas ao ponto de não querer manter uma relação a três:"Eu,FILHO,Ela",exatamente nessa ordem em que o filho está entre nós ,se tornando quase sempre o motivo de não poder ir a um restaurante com ela em paz,sem ficar se preocupando se a criança já comeu,se esta sentindo falta da mãe,ou ir para a casa dela e tentar ter um momento a sós sem que a criança não chore ou precise da companhia da mãe para fazê-la dormir!Sem contar com os inumeros compromissos e viagens que são necessarios ser desmarcados pelo fato da criança ter ficado doente(seja por uma simples gripe)ou pq a mãe não achou ninguém para ficar com o filho e deixar ela livre para sair ou viajar!!Poderia ficar aqui por horas citando inumeros motivos que justifiquem o porquê de "fugirmos" de mulheres que vem com "bagagem".
    OPÇÃO:C Atende e conte para ele que tem um filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que o preconceito existe, todo mundo sabe. O que me preocupa é a forma escancarada como ele é revelado. O que os homens medíocres (aqueles que estão na média, medianos) não sabem ou não percebem é que as mães solteiras são mulheres especiais. Mulheres que matam um leão por dia para ser pai e mãe ao mesmo tempo. Que lidam com a sociedade de peito aberto e tocam a vida adiante. Portanto, não me aflige nem um pouco o fato de homens comuns não quererem nada comigo por eu ter uma "bagagem". Eu espero sempre pelo Homem Especial que compreenderá a situação e não verá empecilho no fato de eu ter um filho. Enquanto isso não acontece, vou curtindo a delícia de ter um filho só para mim com todos os ônus e bônus que isto pode oferecer.

      Excluir
    2. O fato de um homem preferir uma mulher sem filhos não torna ele de maneira alguma uma pessoa preconceituosa,afinal,a liberdade de escolha existe e cada um usufrui da maneira que lhe melhor lhe convém,sem dizer,que é direito nosso querer ter o seu próprio filho,na hora em que considerarmos certa.Nesse caso,o preconceito(juízo pré-concebido, que se manifesta numa atitude discriminatória, perante pessoas, crenças, sentimentos e tendências de comportamento),está ocorrendo da sua parte juntamente com um excesso de auto-suficiência,principalmente quando você "apelida" de homens COMUNS,aqueles que optam por ter um relacionamento com uma mulher solteira e sem filhos,diferente de você!Concorda?
      Mas fica tranquila,não são todos que pensam como eu e a maioria,alguns não se incomodam com "bagagem" extra.

      Excluir
  5. Eu pensei que a opção "C" fosse "Deixo-o descobrir sozinho, via facebook". O anonimato da o poder de mudar suas opções Ana ?
    Rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está certo rapaz,ocorreu um pequeno erro da minha parte!!A opção na qual me referi é a da letra B:Atende e conte para ele que tem um filho.Isso é,se ele ligar,né!

      Excluir
  6. Ana Paula, boa noite!
    Descobri o seu blog meio que por acaso (google), onde eu fazia uma pesquisa sobre um tema e apareceu o seu blog como resultado. E quando abri a tela, vi alguns temas interessantes, e como o seu blog é público resolvi ler alguns posts. E sabe o que eu descobri? que você é tão preconceituosa quanto o "Gajo" que deixou implícito a ojeriza dele em se relacionar com mulher "com bagagem". Pois como você mesmo diz, os medianos não te interessam, e que você, está procurando o homem especial. Para ser especial ele tem que preencher os seus "requisitos", ou seja, os seus preconceitos. Realmente, estou na dúvida sobre o que é ser preconceituoso...

    ResponderExcluir