domingo, 25 de dezembro de 2011

Natal é Natal, pô!

A pessoa que diz não gostar do Natal é logo esteriotipado.
-Nossa! Mas porque você não gosta do Natal?? Você deve ser uma pessoa muito amarga e mal amada, porque, afinal, é um tempo de confraternizações, de união familiar, de celebrar o nascimento de Cristo, e blá-blá-blá.

Não gostar do Natal é tão natural quanto não gostar de fazer aniversários, ou não gostar de assistir ao desfile de 7 de setembro, ou não pular carnaval. Infelizmente o comércio desvirtuou tudo. Hoje em dia, Natal é sinônimo de gastos. Ninguém passa ileso pelo Natal, por mais no vermelho que esteja. Se a coisa tivesse se mantido só no campo religioso seria mais legal, sabe? Sem essa parada de festança exagerada, presente pra todo mundo, Feliz Natal e Próspero Ano Novo pra cá, Feliz Natal e Próspero Ano Novo pra lá...

A propósito, quando me sentei aqui ia escrever justamente sobre essas felicitações de final de ano. Eu acho estranho aproveitarmos o Natal para já desejar um Feliz Ano Novo. Pô! Natal é Natal, Ano Novo é Ano Novo! São duas datas distintas! Tá certo que separadas por um semana, mas são datas distintas. E hoje em dia, com essa facilidade para trocar mensagens, seja de celular ou na internet, o que custa mandar uma mensagem para o Natal e outra para o Ano Novo? Antigamente, até se justificava, porque as mensagens eram enviadas em lindos cartões postais, que iam pelo correio e chegavam normalmente antes do Natal. Aí, sim eu calo a minha boca! Um pau matando duas cobras. Mas sinceramente não entendo porque hoje ainda desejam Feliz Natal e Próspero Ano Novo numa mensagem só! Pra mim soa como se a pessoa não quisesse falar comigo na semana que vem.

Um comentário: