quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Os 30 que mudaram a minha vida

A despeito do título já vou logo adiantando que ainda não sou uma balzaquiana e, portanto, os 30 que provocaram em mim uma mudança substancial não são os anos (estou próxima, mas ainda não cheguei lá). Também não são homens. Quem me dera tivesse histórias de 30 amores para contar. Mas se as tivesse já estaria com o sistema nervoso completamente comprometido. 

Os 30 aos quais me refiro e que representam um marco na minha breve existência são 30 reais. Sim, nobre leitor. Quantos 30 reais você e eu já gastamos não é mesmo? Com coisas necessárias e outras nem tanto. Mas hoje ao caminhar por uma calçada e ver várias apostilas de concurso enfileiradas em frente à banca lembrei-me desse investimento de 30 reais feito em 2004 ou 2005 e que hoje me rendeu tudo (em termos materiais) que eu tenho.

Decidi fazer o concurso para a Caixa Econômica Federal meio que no oba-oba. Todos os meus amigos estavam fazendo concurso e resolvi, meio que pra não ficar de fora, fazer também. Até então eu não tinha a menor noção de banco e/ou serviços bancários. A minha experiência em banco se resumia a uma conta que havia aberto para receber a bolsa da monitoria. 

Pois bem, diante daquela banca de revista em 2004 ou 2005 eu tinha três opções: uma apostila de 25 mangos, uma de 30 e outra de 35. Pensei com meus botões "vou pelo mediano, porque a mais barata deve ser fraquinha e se não der certo ao menos não investi muito". Comprei-a. Fui folheando a bichinha no ônibus, me afeiçoando àqueles termos esquisitos, resolvendo questões de português (que para mim eram as mais tranquilas) e em pouco tempo éramos como irmãs.

Estudava nas horas vagas. Não fui muito disciplinada, confesso. Todavia passar num concurso da Caixa há nove ou dez anos atrás era bem mais de boa do que atualmente. 

Enfim, fiz a prova com empenho. Verifiquei que havia passado na sala de internet (que na época era artigo de luxo) da UEG de Itapuranga. Sinceramente não esperava ser chamada, muito menos tão rápido. Comecei a trabalhar e tive de abdicar de muitas coisas por isso: algumas amizades, tempo para dedicar à faculdade, entre outras coisas. 

Hoje quando passei na banca de revista onde vendiam as apostilas, eu estava indo comprar uma roupa para o meu filho. Graças ao meu trabalho no banco consigo sair da minha casa própria, no meu próprio carro e comprar coisas para o meu filho que crio praticamente sozinha. 

Portanto, amigo leitor, você pode estar passando diante de uma grande oportunidade a qualquer momento. Uma decisão, por menor que seja, muda o curso de muita coisa e vai definir a sua vida por muito tempo. Não espere para começar a agir depois do carnaval.

Nenhum comentário:

Postar um comentário