terça-feira, 27 de março de 2012

Seja bem vindo, 36

Gosto de agradecer pelas pequenas coisas da vida. Principalmente as pequenas. Você já agradeceu a Deus por não ter nenhum corte no dedo hoje? Aposto que se tivesse cortado não se esqueceria de lembrar o quanto é bom quando não estamos sofrendo de mal algum. É sempre assim: eu era feliz e não sabia.

Portanto, lembrei de agradecer às forças naturais por ter me emagrecido. Não que eu fosse uma obeeesa imeeensa, não! Mas eu engordei quase 15 kg com a gravidez. Meu filho nasceu com quase quatro, digamos que uns dois kilos fosse de placenta e líquido amniótico, restou, portanto, 9 kg de massa corporal não pertecente ao meu corpo, mas que insistiu em permanecer aqui por quase dois anos.

Você já passou pela experiencia de tentar colocar uma calça jeans que antes lhe servia perfeitamente e ela não passar nem pelo seu quadril? Nem queira! Dá, tipo assim, um sentimento de que nunca mais você terá o seu corpo de volta e que se tornou uma aberração da natureza. Disforme, pelanquenta, cheia de estrias. Eu era assombrada por um desgosto profundo sempre que me olhava no espelho.

Quase três anos se passaram desde então. Voltei a pesar meu peso normal e o melhor de tudo: manequim 36! Eu não sou feliz com meu corpo. E acho que poucas mulheres são. Entretanto nossa relação (Ana Paula x Corpo da Ana Paula) está bem mais harmônica depois do silicone (que se eu soubesse que me faria tão bem, teria colocado há seis anos atrás!). A luta agora é com um "calinho" abdominal que teima em permanecer. Ele parece o Seu Madruga. É um péssimo inquilino e se recusa a sair e vai ficando por 13, 14, 15 meses... sem pagar aluguel. Um dia dou-lhe uma ordem de despejo nas fuças! Emitida por ninguém mais, ninguém menos, que meu cirurgião plástico! Ah, se dou!

2 comentários:

  1. Bem-vindo, Benvindo e bem... vindo!



    Para quem ainda tem dúvidas (e por sugestão da Inês), aqui fica o esclarecimento: o adjetivo bem-vindo escreve-se com hífen, sendo uma palavra formada por justaposição.
    Assim, nas expressões “seja bem-vindo”, “sentiu-se bem-vinda” e “serão bem-vindos”, em que a palavra tem sempre o sentido de “bem acolhido/a/os”, é esse adjectivo, com hífen entre os dois termos que formam o composto, que está presente.

    Benvindo é nome próprio, como Benvinda, na versão feminina. Portanto, é uma palavra composta por aglutinação, uma vez que não há hífen entre os termos bem e vindo.

    Agora perguntam-me: e bem vindo, ou bem vinda, separado, sem hífen, não existe?

    Bem, vinda de vocês, essa pergunta merece toda a atenção!...
    Na frase atrás, vemos que as palavras aparecem seguidas, mas há uma vírgula entre elas.

    Em princípio, deverá haver sempre esse elemento entre as palavras independentes bem e vindo/a/s, pois as situações em que elas aparecem próximas aconselharão o uso da pontuação:


    Bem, vindo dele, isso até é de estranhar... – Aqui, temos o advérbio bem em início de frase, solicitando a separação do resto por meio de vírgula.


    Ela aparentava estar bem, vindo ao meu encontro a passos largos. – Aqui, temos o advérbio bem no final da primeira oração, que é separada da segunda por meio de vírgula, uma vez que esta é uma oração reduzida gerundiva.


    Bem, vindo aí o fim-de-semana, o melhor é não me alongar mais!

    http://linguamodadoisec.blogspot.com.br/2008/01/bem-vindo-benvindo-e-bem-vindo.html

    Sem ofensa...
    No intuito de colaborar.

    ResponderExcluir
  2. Não me senti ofendida de modo algum! Muito pelo contrário! Agradeço demais pela inferência. Quisera Deus todos colaborassem com meu português como você. De agora em diante não me esqueço mais.

    ResponderExcluir