quinta-feira, 15 de novembro de 2012

NÃO É PROIBIDO ou COMO CONSEGUIR UMA FOTO COM SEU ÍDOLO EM 20 MINUTOS, parte I

Eu sou uma pessoa de muita sorte. Nem sei porque eu sou tão mal humorada às vezes (aliás, às sempres)... Na verdade eu sei, mas não quero falar. Eu quero falar é sobre a Marisa Monte e como eu consegui abraçá-la ontem. Não faço exatamente a linha tiete, não pertenço a fã-clube, não mando cartinhas, não tenho poster na parede do quarto (por mais teenager que isso possa parecer, sei de gente - adulta - que tem... ou iéar...), entretanto, a admiro pra cacete! Acho-a bonita, sensível, com uma belíssima voz, muito competente no que faz, discreta e educada (raridade entre os artistas de hoje).

Em 2001 conheci algumas músicas da Marisa. Tive até a audácia de pensar em cantar Bem Que Se Quis num festival da minha cidade, mas meu anjo da guarda, sempre muito prestativo e atento, não permitiu e me poupou desse provável fiasco. Não que eu seja desafinada, quer dizer, não muito, mas é que é preciso uma dose generosa de talento para conseguir chegar próximo de uma música interpretada por ela. Enfim, não cantei e fui muito feliz. Em 2003, ganhei de presente da Maianí o livro Marisa Monte : Memórias, Crônicas e Declarações de Amor, simplesmente fantástico. Contém fotos e letras cifradas das músicas do álbum homônimo. Quando comecei a trabalhar tive condições de adquirir mais produtos dela: um CD aqui, um DVD acolá. Em janeiro de 2007 ela veio à Goiânia com a turnê Universo Particular. Fui a terceira a chegar no local do show,  precedida por um casal gay indubitavelmente mais loucos por ela do que eu. Levei meu livro comigo e ao ver o tal casal entregando um idêntico a uma produtora do show pedi que levasse o meu também para pegar um autógrafo dela. Depois que vi aquela produtora indo corredor a fora com meu lindo livrinho nas mãos bateu um medo de nunca mais vê-lo. E se ela o entregasse a outra pessoa por engano? O jeito era acreditar e torcer. Mas meu anjinho não brinca em serviço e eis que no final do show eu encontro a guria e recupero meu pertence devidamente autografado pela autora. Meu coração se encheu de júbilo naquele momento.

Este ano, ao saber que MM viria novamente à Goiânia, falei para o meu namorado que gostaria muitíssimo de ir e que esse ano não ficaria na plateia lateral como em 2007. Meu amor, solícito e adorável como sempre, se prontificou a comprar os melhores ingressos... Normal? Sim, se não fosse o preço anormal. Contudo, é um show da Marisa Monte, véi! Show nada! Es-pe-tá-cu-lo! Obrigada, meu bem! Você me proporcionou uma alegria ímpar! Aliás, você tem me proporcionado várias. Obrigada! O show foi lindo! Perfeito!

Agora, tão bom quanto o show foi ter realizado a façanha de tirar uma foto junto a ela. Não percam o próximo post. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário