sábado, 7 de abril de 2012

Vendedores são meu carma

Eu acho que na ultima encarnação eu fui vendedora, ou talvez na próxima eu seja (por castigo). Só sei que pago por todos os meus pecados quando ponho os pés dentro de uma loja. Em raras ocasiões sou tratada da forma como gostaria. Às vezes tem bajulação demais que nem nos deixa a vontade para olhar os produtos com calma. Às vezes tem desatenção de menos que temos de ficar implorando para que o atendente faça o serviço dele a contento.

Véi! Eu só queria uma camiseta! Térmica! Em malha fria! Tamanho M! Manga longa! E que não fosse escura!

Espero por cerca de 10 minutos e lá me vem o vendedor, com seu tipinho meio aéreo, com duas camisetas pretas, uma de manga curta e outra de manga longa, ambas tamanho G.

Ana Paula ideal: _ Ô, meu querido, você se enganou. Eu visto tamanho M. Essa aqui é G. Teria como você dar uma olhadinha lá dentro pra ver se tem a M. E a propósito, eu não gostaria que fosse escura. Queria uma cor mais clarinha. E não precisa trazer de manga curta, não, tá? Só serve se for manga longa. Eu não tenho pressa, não, viu? Pode ficar a vontade.

Ana Paula real: _ Então tá! Falou! Obrigada! (batendo em retirada)

Eu sou o Saraiva da segunda década do século XXI.

Um comentário:

  1. Eu tmb tenho esse negócio de "eu ideal" e "eu real"
    O meu "eu ideal" pensa: Então você vai chegar lá, vai botar pra quebrar e jogar tudo na cara daquela professor mal caráter!!
    Mas o meu "eu real" abaixa a cabeça e espera a aula acabar :(

    ResponderExcluir